Regimento e Normas

REVISTA DO ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

REGIMENTO INTERNO E DISPOSIÇÕES GERAIS

O Diretor Geral do Arquivo Público do Estado Espírito Santo - APEES, no uso de suas atribuições legais, torna público o Regimento da Revista do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo.

1 – Do objeto

A Revista do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo - RAPEES será uma publicação de periodicidade semestral, vinculada ao Arquivo Público do Estado do Espírito Santo e disponibilizada, gratuitamente, aos interessados por meio eletrônico, hospedada no site oficial da instituição, em espaço a ela devidamente reservado.

A RAPEES será composta de seções permanentes e sazonais que visam trazer ao público discussões que contribuam para o aprimoramento da história, da memória e da identidade capixabas. A Revista tem como proposta a disseminação do conhecimento, preferencialmente, nos ramos da História, Arquivologia, Biblioteconomia, Ciências Sociais, Geografia e demais assuntos que contribuam para o desenvolvimento de pesquisas sobre o Espírito Santo e a formação de pesquisadores capixabas.

A Revista publicará uma seção permanente de artigos inéditos, excetuando-se os casos de edições especiais e comemorativas, além de seções dedicadas aos documentos de valor histórico disponíveis no acervo do APEES, entrevistas, resenhas e noticiários. Outras seções poderão ser acrescidas a esse corpus quando o comitê editorial julgar necessário.

2 – Finalidades

A RAPEES tem como principal objetivo realizar a publicação de pesquisas de caráter inédito, que busquem contribuir para a construção do conhecimento, saber histórico e arquivístico, dentre outros, do e no Estado do Espírito Santo, priorizando pesquisas que tenham o acervo do APEES como fonte documental, visando, dessa forma, demonstrar a riqueza de informações existentes e disponíveis nesta instituição arquivística.

Divulgar pesquisas de significativa contribuição e importância às áreas do conhecimento acima citadas, visando aproximar e estreitar os laços entre arquivistas, historiadores, bibliotecários, geógrafos e cientistas sociais, dentre outros, com a população capixaba.

Disponibilizar ao público a vanguarda da pesquisa realizada no Estado ou que possua o Espírito Santo como tema central.

3 – Dos Editores, Conselheiros e suas Atribuições

A RAPEES terá como Editor Executivo, em caráter permanente, o Diretor Geral do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo, cabendo única e exclusivamente a ele a delegação de atribuições ao corpo constitutivo da RAPEES, assim como as temáticas de publicação. O Editor Executivo é o representante direto da RAPEES e cabe ao mesmo divulgar, difundir e tornar possível a publicação periódica da referida revista.

Cabe também ao Editor Executivo a indicação de até dois Coordenadores Editoriais. Esses exercerão o cargo por dois anos podendo, caso seja interesse do Editor Executivo, reconduzi-los por mais um período dois anos, perfazendo, dessa forma, o período de no máximo quatro anos.

Os Coordenadores Editoriais responderão pelas atividades da RAPEES em caso de ausência, incapacidade, vacância ou inexistência do Editor Executivo. É atribuição dos Coordenadores Editoriais tornar possível a operacionalização da RAPEES, providenciando que a mesma esteja apta à publicação dentro do prazo estipulado pelo Editor Executivo.

A Revista contará ainda com a presença de dois Editores Gerentes e de um grupo de Apoio Técnico composto por seis colaboradores, responsáveis pelo funcionamento burocrático do periódico, além da montagem, editoração, projeto gráfico, diagramação e revisão das publicações. Assim como os editores executivos esses colaboradores exercerão o cargo por dois anos, podendo ser reconduzidos às suas funções por mais dois anos, não ultrapassando dessa forma o período de quatro anos.

A RAPEES poderá contar também com revisores, tradutores, ilustradores, dentre outros profissionais, que darão apoio ao desenvolvimento do periódico, sem, no entanto, compor o quadro permanente de colaboradores.

Com exceção do Editor Executivo, que deverá ser obrigatoriamente o Diretor Geral do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo, os demais colaboradores não precisam possuir ligação institucional com o APEES ou com a Administração Pública Estadual. No entanto, devem possuir experiência na gestão de periódicos ou que tenham destaque por suas contribuições socioculturais ou intelectuais.

O corpo editorial e de conselheiros da revista serão formados exclusivamente por voluntários, não sendo realizada, assim, qualquer remuneração ou ganhos extras advindos dessa atividade.

A Revista será impressa somente se existirem recursos financeiros disponíveis, ficando, dessa forma, o APEES e todos os membros do corpo editorial e conselheiros isentos de tal obrigatoriedade.

A RAPEES possuirá, ainda, em sua composição um Conselho Editorial, composto, no mínimo, por 15 (quinze) membros, os quais serão escolhidos por suas significativas contribuições nos diversos campos e domínios das ciências, conforme a linha editorial da revista. Serão esses os responsáveis pelo apoio e pela divulgação do periódico. Tais conselheiros serão indicados pelo Editor Executivo e pelos Coordenadores Editoriais.

Haverá também um Conselho Consultivo, que será composto por no mínimo 30 (trinta) membros. Esse conselho será responsável pela avaliação dos trabalhos propostos e emissão de pareceres favoráveis ou não à publicação dos mesmos, sempre emitindo os motivos que o levaram a tal conclusão.

4 – Das Normas de Publicação

Os textos deverão ser enviados em formato Microsoft Word versão 2003 ou superior, digitados em fonte Arial, tamanho 12, espaçamento entre linhas de 1,5 cm, formatação justificada e com margens superior/ esquerda de 3 cm e inferior/ direita de 2 cm como anexo para o e-mail revista@ape.es.gov.br. A data-limite para o envio de artigos é o dia 31 de agosto de 2017.

O título do trabalho deverá estar centralizado e em negrito. A autoria ou autorias deverá(ão) seguir logo abaixo do título, alinhado à direita, em fonte Arial, com tamanho 10. Todas as filiações institucionais e agências de apoio ou fomento deverão, obrigatoriamente, ser citadas em nota de rodapé.

O resumo deverá ser produzido em língua portuguesa, inserido logo após a autoria, seguindo a norma proposta e não ultrapassando o limite de 15 (quinze) linhas. O resumo também deverá possuir uma versão em língua estrangeira, preferencialmente o inglês, porém, também serão aceitos resumos em italiano, em espanhol e em alemão.

Seguirá logo após a cada resumo as respectivas palavras chave, não ultrapassando o número de 5 (cinco) palavras. As mesmas serão separadas por vírgulas.

                        Ex.: Imigração, colônias, italianos, saudosismo, tradição.

Todas as referências a títulos de obras bem como expressões em línguas estrangeiras que estiverem presentes no corpo do texto deverão estar redigidas em itálico (vide exemplo 2).

Citações de até três linhas deverão ser utilizadas no corpo do texto e entre aspas, já as citações com quatro linhas ou mais deverão ser citadas em parágrafo separado com recuo de 4 cm, fonte 10 e espaçamento simples.

Todas as citações deverão seguir o sistema autor/data e estarem presentes no corpo do texto. As notas de rodapé deverão ser utilizadas somente em caráter explicativo.

Ex. 1: Para José Roberto do Amaral Lapa (1982, p.32) essa institucionalização dos estudos históricos no Brasil tem sido uma característica marcante. 

Ex. 2: Essa abordagem, no caso brasileiro, pode contribuir de maneira exponencial para a compreensão do embate entre os autodidatas e o homo academicus (BOURDIEU, 1989, p. 19), e como esse conseguiu consolidar sua posição frente àquele.

Todos os Artigos deverão possuir no mínimo 12 e no máximo 25 páginas, incluindo-se a bibliografia e os anexos.

As Resenhas deverão possuir no máximo cinco páginas e deverão estar redigidas conforme o formato proposto.

Descritivos de Acervos ou de Documentos, assim como as Entrevistas deverão ser precedidas de notas explicativas ou biográficas, assim como um breve histórico e motivação de tal publicação. Também deverão seguir as normas de redação propostas.

No caso de transcrição de documentos os mesmos deverão ser redigidos em fonte Arial 10, espaçamento de 1,5 cm e redigidas após a nota explicativa em um recuo de 2,5 cm.

As referências bibliográficas deverão vir após o término da publicação, redigidas conforme as normas da ABNT e em ordem alfabética.

            Obra completa:

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Trad. Maria de Lourdes Menezes. 3. Ed. rev. Rio de Janeiro: Forense, 2011.

            Capítulo ou parte de obra:

FERREIRA, A. C. A historiografia profissional paulista: expansão e descentramento. In: GLEZER, R. (org.) Do passado ao futuro: edição comemorativa dos 50 anos da Anpuh. São Paulo: Contexto, 2011.

            Artigos publicados em periódicos:

IGGERS, Georg. Desafios do século XXI a Historiografia. História da Historiografia, Minas Gerais, n. 4, p. 105 – 124, 2010.

            Teses e dissertações:

FRANZINI, Fabio. À sombra das palmeiras. A coleção de documentos brasileiros e as transformações da historiografia brasileira. 2006. 220f. Tese (Doutorado em História). Programa de Pós Graduação em História Social, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

Caso o texto proposto possua imagens que não sejam de autoria do proponente, deverá o mesmo citar, obrigatoriamente, o nome da imagem, a autoria e a fonte da mesma, responsabilizando-se pelos direitos autorais, caso houver. O formato deverá ser em TIFF ou JPEG com resolução de 300 dpi e tamanho mínimo de 5x5 cm. As imagens deverão vir posicionadas em seus respectivos lugares no texto e também deverão ser enviadas, obrigatoriamente, em anexo, e com alta resolução. A ausência de tais requisitos desqualifica o artigo para a publicação.

A revisão ortográfica é de responsabilidade exclusiva dos autores.

5 – Do Acesso e Disponibilização

A partir do envio do texto para a avaliação e possível publicação o autor concorda com a cessão dos direitos autorais, permitindo dessa maneira a divulgação gratuita e irrestrita do conteúdo total à RAPEES, bem como a reprodução parcial ou total do texto, desde que respeitadas as normas de citação e referência de sua autoria.

Com a aprovação da proposta e autorização de publicação, fica o Arquivo Público do Estado do Espírito Santo e seus colaboradores isentos de quaisquer ônus referentes aos direitos autorais.

Deste modo, a RAPEES oferece livre acesso ao seu conteúdo, disponibilizando gratuitamente as referidas produções técnicas e científicas, contribuindo para com a democratização do conhecimento.

O Arquivo Público do Estado do Espírito Santo se compromete a arquivar e disponibilizar para pesquisas todos os números da referida Revista, seja em formato eletrônico ou impresso, garantindo às gerações futuras o acesso irrestrito ao seu conteúdo.

6 – Das disposições gerais

Os casos omissos por este Regimento serão discutidos e apreciados pelo Editor Executivo e Coordenadores Editoriais deste periódico.

Cilmar Franceschetto
Editor Executivo
Diretor Geral do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo


André Malverdes
Coordenador Editorial
Professor do Departamento de Arquivologia - UFES

Júlio César Bentivoglio
Coordenador Editorial
Professor do Departamento de História - UFES

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard